Tag: Gegard Mousasi

Bellator 228: Patrício Pitbull vence Juan Archuleta com tranquilidade

O Bellator realizou sua edição de número 228 neste sábado (28), em Inglewood, na Califórnia. O evento contou com o duelo entre Lyoto Machida e Gegard Mousasi e a luta entre Patrício Pitbull e Juan Archuleta que além de ser mais uma defesa de cinturão do brasileiro, também foi válida pelo GP dos pesos-penas.

Na penúltima luta da noite, o potiguar Patrício Pitbull defendeu seu cinturão diante do espanhol Juan Archuleta em luta válida pelo GP dos pesos-penas. A luta foi dominada do começo ao fim pelo brasileiro, que foi mais técnico em pé e conseguiu controlar o adversário na grade. Ao fim do combate, Pitbull foi anunciado vencedor por decisão unânime.

Na luta principal, Lyoto Machida enfrentou Gegard Mousasi e não conseguiu vencer a revanche. O holandês foi superior nos dois primeiros rounds, conectando a maioria dos golpes e sendo mais efetivo que o brasileiro. No terceiro round, Lyoto conseguiu acertar alguns golpes e ainda arriscou uma guilhotina, mas não foi o suficiente. Ao fim do combate, Gegard Mousasi foi anunciado vencedor por decisão dividida.

Confira os resultados completos:

CARD PRINCIPAL:
Gegard Mousasi venceu Lyoto Machida por decisão dividida (29-28, 28-29, 30-27)
Patrício Pitbull venceu Juan Archuleta por decisão unânime (49-46, 50-45, 49-46)
AJ McKee venceu Georgi Karakhanyan por nocaute técnico aos 8s do R1
Darrion Caldwell venceu Henry Corrales por decisão unânime (29-27, 30-27, 30-27)
Daniel Weichel venceu Saul Rogers por decisão unânime (29-28, 30-27, 29-28)
CARD PRELIMINAR:
AJ Agazarm venceu Jonathan Quiroz por decisão unânime (triplo 29-28)
Ava Knight venceu Shannon Goughary por nocaute a 1m46s do R3
Antonio McKee venceu William Sriyapal por nocaute técnico a 1m17s do R2
Johnny Cisneros venceu Michael Jasper por nocaute técnico aos 4m28s do R2
Leandro Higo venceu Shawn Bunch por finalização aos 4m34s do R2
Weber Almeida venceu Castle Williams por nocaute técnico aos 20s do R2
Joshua Jones venceu Dominic Clark por finalização aos 2m39s do R1
James Barnes venceu David Duran por finalização a 1m51s do R2

Bellator 206: Gegard Mousasi nocauteia Rory MacDonald

Bellator 206: Gegard Mousasi nocauteia Rory MacDonald

A luta principal do lendário Bellator 206, foi a disputa de cinturão entre Gegard Mousasi x Rory MacDonald. Um duelo válido pela divisão dos médios da organização. Mais uma luta de ex-UFC’s na noite de lutas.

A luta começou bastante tensa, com o Gegard Mousasi emplacando um bom direto no frontal do Rory MacDonald. O duelo seguia no centro do cage, mas a trocação era discreta, sem ninguém se arriscar. Em um primeiro round muito técnico Gegard Mousasi larga na frente. Mesmo com a batalha parelha, este se impôs mais e ditou o ritmo.

Leia também: Confira todos os resultados do Bellator 206

Para o segundo round o Rory MacDonald começou golpeando, mas logo foi respondido. Em uma investida na luta no solo, MacDonald levou a pior. Gegard Mousasi caiu por cima e martelou de cima para baixo. Os duros socos logo quebraram o nariz do Rory, que ficou no atraso. Gegard Mousasi  conseguiu a montada e deu início a um verdadeiro castigo.

Sem ter como de defender, das cotoveladas de Gegard Mousasi, o juiz interviu e foi decretado o nocaute técnico.  Com isso, Mousasi leva o cinturão do Bellator para casa mais uma vez. Essa que foi sua primeira defesa de cinturão na organização.

Ainda dentro do cage, o campeão deu entrevista e pediu adversário. Mousasi pediu para enfrentar o brasileiro Lyoto Machida. O brasileiro que estava como comentarista do Bellator 206 na Fox Sports Brasil aceitou prontamente o desafio. O ‘The Dragon’ ressaltou que tem combate marcado para sua estreia, mas deixou em aberto para após esse compromisso.

Foto: Steve Flynn-USA TODAY Sports

Bellator 206 – Resultados: Gegard Mousasi x Rory MacDonald

Aconteceu neste sábado (29) o Bellator 206. Diretamente da SAP Center, em San Jose, Califórnia, nos Estados Unidos. No confronto principal, Gegard Mousasi defendeu o cinturão dos médios contra Rory MacDonald, que atualmente detém o cinturão meio-médio.

No co-main event, a lenda brasileira Wanderlei Silva duelou pela quarta vez diante de Quinton Rampage Jackson. O brasileiro possuía duas vitórias e uma derrota contra o americano. Outro brasileiro foi Douglas Lima. Em embate pelo GP meio-médio, o goiano enfrentou o russo Andrey Koreshkov.

CONFIRA OS RESULTADOS EM TEMPO REAL:

Card principal
Gegard Mousasi venceu Rory MacDonald por nocaute técnico 3m23s do segundo round
Rampage Jackson venceu Wanderlei Silva por nocaute técnico aos 4m32s do segundo round
Douglas Lima venceu Andrey Koreshkov por finalização (mata-leão) ao 3m4s do quinto round
Aaron Pico venceu Leandro Higo por nocaute técnico aos 3m19s do primeiro round
Keri Melendez venceu Dakota Zimmerman por decisão dividida (29-28, 28-29, 29-28)
Gaston Bolanos venceu Ysidro Gutierrez por nocaute técnico aos 1m37s do segundo round

Card preliminar
Adam Piccolotti venceu James Terry por decisão unânime (29-28, 30-27, 30-27)
Cass Bell venceu Ty Costa por finalização aos 3m06s do primeiro round
Arlene Blencowe venceu Amber Leibrock por nocaute técnico aos 1m23s do terceiro round
Jeremiah Labiano venceu Justin Smitley por nocaute técnico aos 3m28s do primeiro round
Josh San Diego venceu Joe Neal por decisão dividida (28-29, 30-27, 29-28)
Chuck Campbell venceu Joseph Ramirez por decisão unânime (30-27, 30-27, 30-27)
Anthony Figueroa Jr. venceu Samuel Romero por decisão unânime (29-27, 28-26, 29-26)

FOTO: Reprodução-Bellator MMA

Gegard Mousasi enfrenta Rory MacDonald no Bellator pelo cinturão dos médios

Um grande combate está confirmado para o dia 29 de setembro no Bellator. Conforme noticiou inicialmente a ESPN, o iraniano Gegard Mousadi defenderá o cinturão dos médios contra Rory MacDonald na cidade de San José na Califórnia.

Gegard Mousasi deixou o UFC em 2017 com uma sequência de cinco vitórias seguidas. Após não entrar em um acordo com o Ultimate, o iraniano assinou com o Bellator e logo na estreia derrotou Alexander Shlemenko por decisão unânime. Em maio desse ano, Mousasi conquistou o cinturão dos médios após vencer Rafael Carvalho por nocaute técnico no Bellator 200.

Leia também: Stephen Thompson revela rompimento do ligamento no joelho em luta contra Darren Till

Grande nome do MMA canadense, Rory MacDonald tentará emplacar a terceira vitória seguida. Ex-desafiante ao cinturão dos meio-médios do UFC, Rory chegou no Bellator em 2017 e no primeiro duelo, venceu Paul Daley por finalização. Na edição de número 192, conquistou o cinturão dos meio-médios após bater o brasileiro Douglas Lima por decisão unânime.

Ontem (20), o brasileiro Wanderlei Silva confirmou um combate contra Quinton Rampage Jackson para o mesmo evento em San José na Califórnia no dia 29 de setembro. Até o momento, a organização ainda não confirmou qual é a numeração do evento.

Mousasi revela desejo de enfrentar Rory MacDonald após Bellator 200

Ex-UFC, Gegard Mousasi segue trilhando seu caminho no Bellator. Em entrevista ao programa “The MMA Hour”, o iraniano radicado na Holanda revelou que pretende enfrentar o canadense Rory MacDonaldo após o Bellator 200, no qual enfrentará o campeão meio-médio Rafael Carvalho.

“Depois de enfrentar o Carvalho, espero que possamos fazer essa luta. Ele (Rory MacDonald) poderá mostrar suas habilidades. O seu estilo é perfeito para mim. Ele anda pra frente e, provavelmente, vou dar uma surra nele”.

Leia também: Holloway descarta Conor McGregor e afirma: “Quero o Khabib”
Tyron Woodley diz que vai treinar Floyd Mayweather para o MMA

Aos 32 anos, Gegard Mousasi detém na carreira 43 vitórias, seis derrotas e dois empates. Veterano no esporte, “The DreamCatcher” além de passagem pelo UFC, também acumula em sua vasta carreira o cinturão meio-pesado no extinto evento Strikeforce.

Gegard Mousasi estreia no Bellator diante Alexander Shlemenko em outubro

Gegard Mousasi estreia no Bellator diante Alexander Shlemenko em outubro 1

O Bellator confirmou a estreia do ex-UFC Gegard Mousasi. O iraniano irá enfrentar russo Alexander Shlemenko na luta principal do Bellator 185. A organização também confirmou o duelo entre King Mo e Liam McGeary.

Com 31 anos, Gegard Mousasi chega ao Bellator com uma sequência de cinco vitórias consecutivas, sendo a mais recente sobre Chris Weidman no UFC 210 em abril desse ano (2017). Na carreira, o lutador possui 42 vitórias e seis derrotas.

Também embalado com cinco vitórias consecutivas, Alexander Shlemenko venceu em seu combate mais recente Brandon Halsey por nocaute técnico M-1 Challenge 79 em junho. Na Em seu cartel profissional, são 56 vitórias e apenas nove derrotas.

O Bellator 185 será realizado no dia 20 de outubro.

Após migrar para o Bellator, Gegard Mousasi critica patrocinadora do UFC: “Nem bons shorts ou calças eles fazem”

Após migrar para o Bellator, Gegard Mousasi critica patrocinadora do UFC: "Nem bons shorts ou calças eles fazem" 2
Imagem: MMA Junkie

Em entrevista para o programa “The MMA Hour”, o mais novo contratado do Bellator, Gegard Mousasi, criticou a patrocinadora de uniformes do UFC, Rebook. Para o iraniano, além de não dar um bom lucro para o lutador, a marca não produz um bom material.

“A Reebok é ruim para o UFC, nem bons shorts ou calças eles fazem. Eu não sei se os novos proprietários (WME-IMG) entendem o que estão fazendo. Isso não é entretenimento, é diferente de entretenimento. Isso é luta “

Apesar das criticas ao parceiro do Ultimate, o peso-médio afirmou não ter mágoas da organização.

“É também sobre tratamento e o recebimento de oportunidades. Por outro lado, o UFC me tratou bem. Não tenho nada de ruim para falar sobre eles”.

Com 31 anos, Gegard Mousasi chega ao Bellator com uma sequência de cinco vitórias consecutivas, sendo a mais recente sobre Chris Weidman no UFC 210 em abril desse ano (2017). Na carreira, o lutador possui 42 vitórias e seis derrotas.

Gegard Mousasi não renova com UFC e é mais um que migra para o Bellator

Cresce o número de lutadores que saem do Ultimate e resolvem assinar com o evento rival, o Bellator MMA. Phil Davez, Ben Hendersom, Chael Sonnen, Roy Nelson, Wanderlei Silva e muitos outros nomes de pesos já fizeram a migração para a organização de Scott Coker.

A última luta do contrato de Gegard Mousasi foi no UFC 210, onde venceu Chris Weidman por nocaute no segundo round. O arménio/holandês vem de cinco vitórias consecutivas e, seu grande momento lhe rendeu a quarta posição do ranking dos pesos médios do Ultimate.

Após fazer sua última luta do contrato, iniciaram-se negociações com a direção do UFC, mas o lutador e a organização não chegaram a um consenso. Segundo informação veiculada no portal americano especializado em MMA ‘BJ Penn’ , o peso médio agora tem uma nova casa, e é o Bellator.

Gegard Mousasi atualmente tem 31 anos de idade, em seu cartel como lutador profissional de MMA, possui 50 lutas e, saiu como vencedor em 42 oportunidades.

Bisping afirma que não lutará tão cedo: “Estou com sérios problemas no meu joelho”

Bisping afirma que não lutará tão cedo: "Estou com sérios problemas no meu joelho" 3
Imagem: MMA Fighting

Em entrevista para o podcast “Believe You Me” o campeão Michael Bisping alegou que não voltará ao octógono tão cedo. O inglês afirmou que está com uma lesão no joelho, que o está deixando incapacitado até mesmo de treinar.

“É uma bênção disfarçada, porque eu não vou poder lutar tão cedo. Não consigo treinar, porque estou com sérios problemas no meu joelho. Já estava sentindo isso na Tailândia, e não melhorou nada. É uma longa história, mas a verdade é que não vou poder lutar por algum tempo. Por isso, o cenário acabou sendo perfeito para mim.”

Bisping também revelou que até agora não recebeu nenhum comunicado oficial do cancelamento do duelo entre ele e Georges St-Pierre.

“Honestamente, isso é novidade para mim. Não me falaram nada a respeito. Falei com Georges e ele me disse que também não recebeu nennuma posição oficial. Nenhum membro da direção do UFC falou comigo. Sei que muita gente está reclamando pela demora dessa luta contra GSP. Vamos ver o que acontece… Para deixar as coisas claras, até o momento o UFC não tem nenhuma posição oficial. Eu e Georges estamos esperando. Me ofereceram essa luta duas vezes: primeiro em outubro, e nada aconteceu. Depois em janeiro ou fevereiro, e as coisas caminharam. Fizemos a coletiva, apertamos as mãos e falamos uma porção de besteiras em Las Vegas. Ainda não assinamos o contrato, mas o plano é que lutemos. Houve uma oferta e eu aceitei. Acredito que, uma vez que o acordo está feito, temos que mantê-lo.”

Apesar de saber que Mousasi, Whittaker e Romero estão na fila para disputar o cinturão, Michael Bisping disse que irá esperar um ultimato do UFC em relação ao possível duelo contra GSP.

“Rockhold não tem motivos para ficar falando. Alguns têm, para ser honesto. Yoel Romero está esperando há algum tempo, assim como Robert Whittaker e Gegard Mousasi. Dou razão a esses três. Mas eu tenho uma luta marcada. Até ouvir algo diferente do UFC, espero que meu próximo compromisso seja enfrentar Georges St-Pierre.”

Ronda Rousey descartou estar aposentada do MMA

Gegard Mousasi detona Ronda Rousey em entrevista

Gegard Mousasi detona Ronda Rousey em entrevista 4
Gegard Mousasi (Foto: Reprodução)

A ex-campeã do peso galo do UFC vive, sem sombra de dúvida, o momento mais conturbado de toda sua carreira como lutadora de MMA. Após emplacar uma sequência de doze vitórias consecutivas, que a levou ao topo do mundo, Ronda Rousey conheceu o revés contra Holly Holm e repetiu o amargo gosto da derrota logo em seguida contra Amanda Nunes.

Esses dois últimos combates da americana causaram uma instabilidade na carreira da atleta. O futuro de Ronda Rousey hoje é incerto para o mundo das lutas e, para Gegard Mousasi, a ex-campeã dominante não tem habilidade para a luta em pé e não passa de uma invenção dos profissionais da imprensa, como garantiu em entrevista para o site MMA Figthing.

– “Ela é uma boa lutadora, ela tem a mentalidade de lutadora, mas ela não tem as habilidades de uma lutadora em pé”. – indagou Mousasi.

-“Como a mídia pode fazer dela uma das melhores lutadoras se ela não consegue nem chutar ou dar um soco? Isso é que nem a Serena Williams jogar sem um backhand (jogada típica de tenista, rebatendo a bola no fundo da quadra). Como eles a fizeram a melhor lutadora de todos os tempos?” – finalizou o lutador.

Segue como incognita o retorno de Ronda Rousey ao MMA, o que se sabe de fato, é que agora a atleta está trabalhando em um seriado da TV americana. Aos 30 anos de idade, Ronda tem 14 lutas como profissional de MMA, sendo destas, 12 vitórias consecutivas, onde poucas passaram do primeiro round.

Já Gegard Mousasi vive grande momento em sua carreira, aos 31 anos, o iraniano emplacou sua quinta vitória consecutiva no Ultimate sobre o ex-campeão Chris Weidman é o atual 4º colocado do ranking dos médios, com 50 lutas e 42 vitórias na carreira.


Confira os salários do UFC 210

Confira os salários do UFC 210 5
Foto: Getty Images

No último sábado (8), aconteceu a edição de número 210 da maior organização de MMA do mundo e, mais uma vez o público americano foi o escolhido para receber mais uma histórica edição numerada. O evento aconteceu em Buffalo e teve como luta principal a disputa do cinturão entre os meios pesados Daniel Cormier e Anthony Jhonson.

O maior salário da noite foi do campeão, que defendeu e manteve seu título. Daniel Cormier embolsou US$ 640.000 (seiscentos e quarenta mil dólares), o equivalente a pouco mais de R$ 2.000.000 (dois milhões de reais).

Os valores que estão elencados abaixo, são as somatórias da bolsa paga pelo UFC, o valor pago pelo patrocinado oficial do Ultimate e os bônus para as melhores atuações da noite de luta.

Confira as bolsas:

*VALORES EM DÓLARES // VALORES EM REAIS

Daniel Cormier: US$ 640.000 // R$ 2.000.000

Anthony Johnson: US$ 530.000 // R$ 1.660.000

Chris Weidman: US$ 285,000 // R$ 892.000

Gegard Mousasi: US$ 150.000 // R$ 469.500

Charles Oliveira: US$ 149.000 // R$ 466.370

Thiago Alves: US$ 110.000 // R$ 344.300

Shane Burgos: US$ 76.500 // R$ 239.500

Gregor Gillespie: US$ 76.500 // R$ 239.500

Charles Rosa: US$ 66.500 // R$ 208.000

Myles Jury: US$ 65.000 // R$ 208.000

Patrick Cote: US$ 63.000 // R$ 197.000

Will Brooks: US$ 55.500 // R$ 173.700

Kamaru Usman: US$ 48.500 // R$ 151.800

Jan Blachowicz: US$ 41.000 // R$ 128.300

Patrick Cummins: US$ 37.000 // R$ 115.800

Sean Strickland: US$ 31.000 // R$ 97.000

Cynthia Calvillo: US$ 26.500 // R$ 83.000

Katlyn Chookagian: US$ 26.500 // R$ 83.000

Desmond Green: US$22.500 // R$ 70.400

Magomed Bibulatov: US$ 22.500 // R$ 70.400

Mike De La Torre: US$ 19.000 // R$ 59.500

Josh Emmett: US$ 18.500 // R$ 57.900

Andrew Holbrook: US$ 16.500 // R$ 51.650

Irene Aldana: US$ 14.500 // R$ 45.400

Jenel Lausa: US$ 14.500 // R$ 45.400

Pearl Gonzalez: US$ 12.500 // R$ 39.100

UFC 210: Em luta polêmica, Gegard Mousasi vence Chris Wedman por nocaute técnico

UFC 210: Em luta polêmica, Gegard Mousasi vence Chris Wedman por nocaute técnico 6
Foto: Reprodução/UFC

A co-luta principal da edição 210 da maior organização de MMA do mundo ficou a cargo de Chris Weidman e Gegard Mousasi. Em momentos opostos na carreira, mesmo com nome forte, Weidman entrava como azarão após duas derrotas seguidas, já o Mousasi foi ao octógono embalado com quatro vitórias consecutivas.

O combate começou bastante tenso e o primeiro minuto foi mais de estudo de ambos os atletas. Até Weidman conseguir botar seu adversário de gosta no chão após uma queda surpreendente e, após isso, quase encaixou uma guilhotina. A luta voltou em pé mas durou pouco tempo, o ex-campeão da divisão dos médios conseguiu aplicar uma nova queda, abrindo vantagem. Mousasi não se abalava com a queda e de maneira rápida ficava de pé, frustrando o jogo de chão de Weidman. Com Chris gastando muita energia, aplicou a terceira queda no último minuto, mas foi para o intervalo mais cansado que Gegard.

O segundo round voltou eletrizante com Gegard Mousasi eletrizante, indo a mil por hora para cima de Chris Weidman e o primeiro minuto foi de um verdadeiro atropelo de Mousasi. Weidman ainda se recuperou dos duros golpe e aplicou uma queda, na metade do assalto conseguiu montar, Mousasi deu as costas, porém Chris não aproveitou a posição, acabando a luta de pé novamente. Uma polêmica deu-se início  após duas joelhadas que possivelmente seriam irregulares, paralisaram a luta. Mas as joelhadas foram legais (de acordo com a nova regra).

Os médicos entraram no campo de batalha para avaliar se Weidman estava hapto para voltar a lutar. Algumas perguntas foram feitas com as respostas dessas, os profissionais da medicina diagnosticaram a impossibilidade de voltar a luta, sendo assim, Gegard Mousasi foi declarado vencedor por nocaute técnico.

Aos 31 anos, o Iraniano conseguiu emplacar sua quinta vitória consecutiva e está na cabeça da categoria para brevemente disputar o cinturão. Em 49 lutas como profissional, Gegard Mousasi venceu em 41 oportunidades.

UFC 210 – Resultados: Daniel Cormier x Anthony Johnson

UFC 210 - Resultados: Daniel Cormier x Anthony Johnson 7
(Imagem: Getty Images)

O Ultimate desembarca neste sábado na KeyBank Center em Buffalo, Nova Iorque para a edição de 210. Na luta principal, Daniel Cormier defende o cinturão meio pesado contra Anthony Johnson.

Já na luta co-principal, o ex-campeão dos médios Chris Weidman vai em busca de retomar ao caminho das vitórias diante o iraniano Gegard Mousasi que vêm embalado com uma sequência de quatro vitórias consecutivas.

RESULTADOS EM TEMPO REAL:

Card Principal
Daniel Cormier venceu Anthony Johnson via finalização aos 3m37s do segundo round
Gegard Mousasi venceu Chris Weidman via nocaute técnico aos 3m13s do segundo round
Cynthia Calvillo venceu Pearl Gonzalez via finalização aos 3m45s do terceiro round.
Thiago Alves venceu Patrick Cote via decisão unânime. (Triplo 30-27)
Charles do Bronx venceu Will Brooks via finalização aos 2m30s do primeiro round

Card Preliminar

Myles Jury venceu Mike De La Torre por nocaute técnico aos 3m30s do primeiro round
Kamaru Usman venceu Sean Strickland via decisão unânime. (30-27,30-26, 30-26)
Shane Burgos venceu Charles Rosa via nocaute aos 1m59s do terceiro round.
Patrick Cummins venceu Jan Blachowicz via decisão majoritaria (29-28, 29-28, 28-28)
Gregor Gillespie venceu Andrew Holbrook via nocaute aos 21s do primeiro round
Desmond Green venceu Josh Emmett via decisão dividida (29-28, 28-29, 30-27)
Katlyn Chookagian venceu Irene Aldana via decisão dividida (29-28, 28-29, 29-28)
Magomed Bibulatov venceu Jenel Lausa via decisão unânime (Triplo 29-26)

UFC 210: “Uma nova chance” – Cormier vs. Johnson II

UFC 210: "Uma nova chance" - Cormier vs. Johnson II 8
Anthony Johnson após ser trucidado por Daniel Cormier no solo (Foto: Reprodução/John Locher)

O Ultimate desembarca neste sábado (08) na cidade de Buffalo, em Nova Iorque, nos Estados Unidos para realizar o UFC 210. O evento que será sediado no ginásio KeyBank Center, casa do Buffalo Sabres, time de hóquei no gelo da Liga Nacional, marca o retorno da organização a cidade nova-iorquina após quase 22 anos da promoção do UFC 7 que ocorreu em setembro de 1995. Naquela ocasião com pouco mais de nove mil pessoas, o destaque foi para o brasileiro Marco Ruas que venceu o torneio sem classe de peso ao derrotar Larry Cureton e Remco Pardoel por finalização, e nocautear Paul Valerans na final. Duas décadas se passaram e o Ultimate retorna para promover na luta principal a revanche entre Daniel Cormier e Anthony Johnson pelo cinturão dos meio-pesados. Além disso teremos um duelo muito aguardado pela divisão dos médios entre Chris Weidman e Gegard Mousasi.

Enquanto o ex-campeão Jon Jones aguarda o término de sua suspensão de um ano por ser flagrado no doping às vésperas do UFC 200 em julho de 2016, a categoria até 93kg segue no seu curso tendo como atual campeão o ex-wrestler olímpico Daniel Cormier.

Atleta da renomada American Kickboxing Academy (AKA), o americano de 38 anos Daniel “DC” Cormier (18-1) continua sua saga para provar seu valor com o verdadeiro campeão, título questionado por muitos pelo fato de nunca ter vencido aquele que para muitos é o real campeão, Jon “Bones” Jones. Cormier faturou o cinturão vago dos meio-pesados em maio de 2015 com uma vitória por finalização sobre Anthony Johnson no UFC 187. Á princípio o então campeão Jon Jones defenderia a cinta contra Anthony Johnson, porém, acabou se envolvendo em um acidente onde demonstrou má conduta e irresponsabilidade em não socorrer a vítima e foi destituído do cinturão. Logo em seguida a organização convocou “DC”, que vinha de derrota para Jones no UFC 182, para substituí-lo e encarar Johnson pelo posto vacante.

UFC 210: "Uma nova chance" - Cormier vs. Johnson II 9
Anthony Johnson e Daniel Cormier promovem encarada na pesagem do UFC 187 (Foto: Reprodução)

Ambos fizeram uma batalha eletrizante. Anthony Johnson que vinha de vitórias sobre Phil Davis, Rogério Minotouro e Alexander Gustafsson, este dois últimos com nocautes brutais no primeiro round, buscou a luta em pé na tentativa de liquidar a fatura com sua trocação feroz e letal. No início da luta Johnson conectou um potente overhand que derrubou Cormier, mas o ex-atleta olímpico foi inteligente e sabendo do perigo que era ficar em pé, trabalhou o clinch e as quedas com um ground and pound muito efetivo para cansar e suplantar a brutalidade de “Rumble”. Cormier trabalhou seu wrestling com eficiência e fez jus à sua faixa-marrom de Jiu-Jitsu ao conseguir encaixar um mata-leão no terceiro round, finalizar o confronto e conquistar o título linear dos meio-pesados.

UFC 210: "Uma nova chance" - Cormier vs. Johnson II 10
Daniel Cormier comemora a conquista do cinturão (Foto: Reprodução)

Após o triunfo, “DC” realizou sua primeira defesa contra o sueco Alexander Gustafsson no UFC 192 e conseguiu sair com a vitória por decisão dividida em um duelo emocionante e bastante acirrado. Posteriormente, a ideia da organização era casar uma revanche entre Cormier e Jones para o UFC 200 em julho de 2016. Jones fez seu retorno no UFC 197, e em uma apresentação decepcionante venceu Ovince St.Preux por decisão unânime além de conquistar o cinturão interino, um cinturão sem razão alguma para ser criado, apenas com intuito apelativo para a divulgação da revanche entre os dois. O duelo então foi marcado, os dois rivais que sempre nutriram uma animosidade se enfrentariam para resolver aquela pendência, entretanto, às vésperas do evento o ex-campeão Jones foi pego no exame antidoping e retirado do combate, frustrando os planos de Dana White e colocando por água abaixo todo o marketing investido na promoção do combate. Querendo manter o campeão no evento, o Ultimate agiu rápido e escalou a lenda Anderson Silva para encara Daniel Cormier em um combate não válido pelo título. Cormier aceitou e venceu a luta sem muitas dificuldades, dominando os três rounds com seu wrestling primoroso e sua força física visivelmente superior.

Anthony “Rumble” Johnson (19-5) por sua vez, em seguida ao revés sofrido para Daniel Cormier realizou mais três combates ou melhor dizendo, “fez mais três vítimas” ao fulminar brutalmente Jimi Manuwa, Ryan Bader e Glover Teixeira, todos por nocaute. Implacável como sempre, Johnson possui a trocação mais temida da categoria sem sombra de dúvidas. Ele que no primeiro encontro contra DC já demonstrara muito poder nas mãos e demasiada ferocidade, contudo, pouca técnica, evidenciou ao longo dessas três lutas um profundo aperfeiçoamento, apresentando calma e precisão na hora de conectar seus violentos golpes. Após os rápidos triunfos, Johnson teve sua nova chance pelo cinturão confirmada e enfrentaria Cormier no UFC 206 em novembro de 2016, porém o campeão se lesionou e o duelo foi remarcado agora para o UFC 210. “Rumble” que possui apenas uma derrota nos seus últimos dez combates, justamente para Cormier, agora se prepara para a revanche na busca por vingança e pelo tão almejado cinturão.

O campeão é favorito, embora tenha demonstrado uma evolução, Johnson terá de superar um dos melhores wreslters do UFC e mostrar uma excelente defesa de quedas para manter a luta em pé e buscar o nocaute. “DC” é muito forte fisicamente e consegue quedar seus adversários de forma colossal, Jones foi o único que conseguiu anular o jogo do ex-peso pesado que também não é bobo na trocação e mostrou qualidade em suas lutas contra o próprio Jon Jones e contra Gustafsson, entretanto é melhor não correr riscos frente ao brutal Anthony Johnson, buscar o clinch e trabalhar o chão é o melhor caminho a seguir. Mesmo sendo oriundo do wrestling colegial e amador, Johnson não possui o mesmo nível que o rival, porém é esperado que ele tenha se esforçado demasiadamente para que consiga manter pelo menos os dois primeiros rounds em pé e procure liquidar rapidamente o confronto.

“Redenção x Ascensão”

UFC 210: "Uma nova chance" - Cormier vs. Johnson II 11
Chris Weidman apresenta corte profundo após sofrer joelhada brutal de Yoel Romero (Foto: Reprodução)

O co-main evento trará um duelo de peso entre Chris Weidman e Gegard Mousasi. Diante de uma categoria travada por causa de um campeão que se recusa a defender o cinturão contra os reais desafiantes e prefere aceitar combates incoerentes, porém rentáveis, este duelo movimentará a divisão até 84kg.

O ex-campeão dos médios Chris Weidman (13-2) realizou um dos maiores feitos na histórias do MMA e de sua carreira ao derrotar a lenda Anderson Silva em julho de 2013 por nocaute no UFC 162. Posteriormente na revanche, Weidman venceu novamente, desta vez por nocaute técnico após uma lesão do brasileiro ao desferir um chute baixo. Weidman não parou por aí e em seguida bateu Lyoto Machida e Vitor Belfort, mantendo o título da categoria em suas mãos e vencendo assim os três maiores nomes do Brasil nos médios à época. Em grande fase, teve pela frente seu primeiro desafiante compatriota, Luke Rockhold no emblemático UFC 194, onde venceu os dois primeiros rounds, mas acabou cometendo um erro no terceiro que lhe custou a derrota por nocaute técnico no round seguinte, perdendo além de sua invencibilidade, o cinturão. Uma revanche foi marcada para o UFC 199 em junho de 2016, porém, Weidman se lesionou e foi substituído às pressas pelo inglês Michael Bisping que faturou a cinta com um nocaute sobre Rockhold.

O “All American” passou quase um ano longe do octógono se recuperando e retornou no UFC 205, evento que marcou o retorno do MMA ao estado de Nova Iorque, enfrentando o cubano Yoel Romero. Embora tenha tido um bom início de luta, Weidman acabou sofrendo uma joelhada voadora brutal do cubano no terceiro round que abriu um profundo corte na cabeça do americano, levando o árbitro a interromper a luta após Romero desferir mais alguns socos. Weidman amargou sua segunda derrota seguida e agora busca recuperação frente ao duríssimo Gegard Mousasi.

UFC 210: "Uma nova chance" - Cormier vs. Johnson II 12
Gegard Mousasi (Foto: Reprodução)

Nascido no Irã, com nacionalidade Holandesa e etnia armênia, Gegard Mousasi (41-6-2) torna bastante confusa sua origem, mas deixando isso de lado, é um dos atletas mais experientes do UFC e que vive sua melhor fase na organização. Ex-campeão meio-pesado do StrikeForce, Mousasi teve um início oscilante com três vitórias e duas derrotas em suas cinco primeiras lutas. Após ter terminado o ano de 2015 com um amargo revés por TKO para Uriah Hall, o holandês estava determinado a ter um ótimo ano  e conseguiu emplacar quatro vitórias seguidas derrotando Thales Leites, Thiago Santos, Vitor Belfort e Uriah Hal, estes três últimos por nocaute/nocaute técnico. Não obstante ele tenha apenas 31 anos de idade, iniciou sua carreira aos 18 anos e vai para sua 50° luta profissional de MMA em busca do quinto triunfo seguido e de ficar mais próximo do cinturão.

UFC 210: "Uma nova chance" - Cormier vs. Johnson II 13
Chris Weidman e Gegard Mousasi posam para fotos (Foto: Reprodução)

Um duelo muito interessante entre um excelente wrestler e um kickboxer dono de um sólido jogo de chão. Weidman terá de utilizar com maestria seu wrestling e trabalhar muito bem as transições, assim como Jacaré anulou o próprio Mousasi em 2014. Mousasi por sua vez é um contra-golpeador, que aguarda o erro do adversário para ser fatal e mostrar sua agressividade. Será um combate estratégico, onde nenhum dos dois pode se dar ao luxo de errar, a atenção será fundamental nesta luta. De um lado, Weidman busca recuperação e do outro Mousasi quer se firmar como um verdadeiro desafiante ao cinturão da categoria, eai quem vence ? Façam suas apostas, boa sorte e até a próxima!

Weidman afirma que pode “furar fila” de Jacaré e Romero: “Vou estar lutando pela cinta”

Weidman afirma que pode "furar fila" de Jacaré e Romero: "Vou estar lutando pela cinta" 14
Imagem: Dave Mandel- Sherdog.com

Em entrevista para um vídeo promocional do UFC 210, o ex-campeão dos médios Chris Weidman sem mostrou bastante convicto que uma vitória diante Gegard Mousasi em Nova Iorque o credencia como próximo desafiante ao cinturão.

“Eu vou lá e domino Mousasi, e eles não podem negar isso. E vou estar lutando pela cinta de novo”- afirmou Weidman.

O americano deixou claro que o plano dele é reconquistar o título, entretanto, sabe que o adversário Gegard Mousasi não vai deixar barato.

“Quando decidimos que lutaria contra Mousasi, ficamos muito animados. É uma grande luta para mim. Ele é um cara duro, muito experiente e está numa boa série de vitórias, então acho que essa luta é a melhor luta para me empurrar de volta para a disputa do título.”

Chris Weidman conquistou o cinturão em 2013 ao vencer Anderson Silva, dali em diante o “All-American” emplacou três defesas de cinturão até iniciar a sequência de derrotas no duelo diante Luke Rockhold em 2015, onde foi derrotado e consequentemente destronado do título. Após o revés, o americano voltou ao octógono em 2016 no UFC 205, onde mais uma vez saiu foi nocauteado, dessa vez para o cubano Yoel Romero.

  • 1
  • 2