Autor: Kelvin Ramirez

Acadêmico de jornalismo, 21 anos. Sinop MT. "Pois o impossível é apenas uma questão de opinião".
MMA Nacional x Pandemia

Impactos do coronavírus no MMA Nacional

Que o MMA brasileiro sempre foi um celeiro de grandes talentos para o esporte isso não há dúvidas. Desde os primórdios do esporte falamos de brasileiros envolvidos nas artes marciais, seja externamente ou internamente nos cages e tatames ao redor do mundo. Mas ai perguntamos, somos uma potência nessa modalidade?

Para boa parte talvez a resposta seja positiva para esse questionamento, mas não temos como negar que ainda não atingimos o potencial que poderíamos chegar. Ao longo dos anos o cenário do MMA nacional cresceu, caiu, se reinventou e atualmente talvez vive uma das piores fases.

Enquanto alguns esportes tentam encontrar maneiras de retomar as atividades durante a pandemia, as artes marciais mistas no país continuam congeladas. Atletas e professores sem quaisquer tipo de amparo e ainda sem saber quando poderão lutar novamente, e quando falo em lutar não significa que seja literalmente apenas, mas no dia-dia, em busca de melhorar suas condições físicas e psicológicas para poderem garantir o sustento, muito além de que muitos acham que apenas a fama e o sustento através de um cartel ‘intocável’.

Acostumados a lerem ou ouvirem de salários astronômicos no mundo das lutas, o cenário real de um atleta de MMA no Brasil é muito diferente. Falta apoio, falta investimento e não é de hoje. As academias também estão muito distante de um nível muitas vezes básico para um atleta de alto nível, e não é atoa que quando surge uma oportunidade os atletas não deixam para depois e vão para academias no exterior, como nos Estados Unidos que sabemos que não tem somente uma boa estrutura e sim material humano para desenvolver atletas muito além da parte técnica, a parte de condicionamento físico e talvez a principal, que é a mental.

Para chegarmos em um nível de progresso é necessário um alinhamento, entre eventos, lutadores e patrocinadores. Infelizmente sabemos das dificuldades nessa cadeia, e a falta de apoio prejudica em massa o desenvolvimento, como conta o lutador Mairon Santos Alves, atleta da Paraná Vale Tudo.

“No Brasil é um lugar onde os organizadores fazem os eventos de uma forma muito esforçada e na maioria das vezes muito sacrificantes, pois é uma quantia em dinheiro para investir na estrutura do evento, atletas, lugar para platéia e etc, e em 90% desses casos o dinheiro que o evento ganha não é lucro”, relatou Mairon para o Tudo Sobre MMA.

O mercado obscuro do MMA nacional escancara as dificuldades que acarretam de forma incisiva o crescimento do esporte no Brasil nos últimos anos. Lutadores que não conseguem prezar nos treinamentos e muitas vezes abdicam das academias para trabalhos extras, ou melhor para um trabalho paralelo, onde o esporte é levado de forma secundária e muitas vezes acabam sendo deixados de lado.

Com várias cidades em estados críticos em decorrência do novo coronavírus, eventos proibidos e academias fechadas acabam sendo a “última pá de terra” em algumas equipes. Convivendo com essas dificuldades, Mairon ainda contou para nossa equipe o panorama atual das equipes de MMA no país.

“A pandemia afetou bastante de forma negativa o cenário do MMA nacional. As academias também estão sofrendo muito, pois só podem treinar aqueles que tem luta marcada, o que é uma coisa que está difícil, pois poucos atletas estão com lutas marcadas”, falou Mairon que está invicto na carreira com 10 vitórias e não luta desde março desse ano.

A falta de apoio e investimentos atinge diretamente líderes de eventos, o pagamento para atletas arriscarem tudo em um octógono muitas vezes acaba sendo simbólico e muitos acabam lutando por alguns ingressos, sim, isso mesmo, não está lendo errado. Estamos falando de um esporte de combate onde atletas arriscam sua integridade física em troca de ingressos. Líder da Paraná Vale Tudo, Gilliard Paraná revela cenário ruim antes mesmo da pandemia e ainda fala das consequências negativas que a paralisação do esporte no país pode causar.

“Os eventos a maioria já estavam pagando os atletas com ingressos e a estrutura não sendo adequada. O cenário com certeza deverá demorar para se recuperar e consequentemente as academias também, muitas estão fechando e eu creio que devemos perder metade das academias no Brasil de luta, pois muitas são de pessoas que pagam aluguel e que dependem de alunos com pagamentos mensais para manter a academia e a grande maioria não tá conseguindo arcar com esses custos”, disse Gilliard Paraná.

Impactos do coronavírus no MMA Nacional 1
Gilliard Paraná é conhecido como um dos pioneiros do MMA feminino no Brasil (Foto: Arquivo Pessoal)

Também sentindo o efeito negativo, a perspectiva para Diego Lima, líder da Chute Boxe (SP), é de recomeço nos próximos meses. Vislumbrando as dificuldades de treinadores e lutadores, Diego pondera a mudança na rotina de treinamento dos atletas e o “vazio” das academias atualmente.

“Aquelas academias que tinham 35, 40 atletas profissionais para poder voltar aos treinos tiveram que reduzir para 6,8 atletas. É muito complicado, acaba desanimando tanto os lutadores, como eventos e empresários. E como sempre, os mais afetados são os atletas. É muito triste, acredito que todo o ano será assim, por mais que voltem os eventos serão de portões fechados, ou seja as bolsas irão voltar menores ainda”, afirma Diego Lima.

Outro ponto destacado por Diego é a redução de atletas, academias e eventos em um futuro próximo.

“Vai ser muito difícil passar por isso, no meio do caminho muitos lutadores talvez desistam da sua profissão e acredito que muitos eventos deixem de fazer, além das academias que muitas delas deverão fechar as portas”, analisa o líder da Chute Boxe SP.

Impactos do coronavírus no MMA Nacional 2
Diego Lima lidera uma das academias mais renomadas do país (Foto: Arquivo Pessoal)

Nos últimos dias, o Shooto Brasil anunciou um evento para o dia 26 de julho, na Upper Arena no Rio de Janeiro. A “Edição Solidariedade” contará com 10 lutas e duas disputas de cinturão, do peso-leve e do peso super-leve. O evento terá transmissão do canal Combate e acontecerá com portões fechados.

Recomeço! Assim devemos presumir o futuro do MMA Nacional. Com certeza material humano não faltará. Sabemos das dificuldades do passado e supomos as que estão por vir, mas não podemos abaixar a cabeça e devemos acreditar em uma reestruturação e confiar que dias melhores virão.

Ouça nosso podcast – Spotify | Deezer | Itunes

Leia também: Jorge Masvidal substitui Durinho e enfrenta Kamaru Usman no UFC 251

UFC 251

#22 – Podcast: palpites do UFC 251 e muita resenha

UFC estreia na ilha da luta em grande estilo com 3 disputas de cinturão, Tarcio, Flávio, Robson e Richard mandam seus palpites para o UFC 251 que acontece no próximo sábado, confira nossa resenha! Siga nossas redes sociais, assine nosso feed e receba as notificações a cada novo episódio.

Confira o card do UFC 251:

CARD PRINCIPAL :
Peso-meio-médio: Kamaru Usman x Jorge Masvidal
Peso-pena: Alexander Volkanovski x Max Holloway
Peso-galo: Petr Yan x José Aldo
Peso-palha: Jéssica Bate-Estaca x Rose Namajunas
Peso-mosca: Amanda Ribas x Paige VanZant


CARD PRELIMINAR:
Peso-meio-pesado: Volkan Oezdemir x Jiri Prochazka
Peso-meio-médio: Elizeu Capoeira x Muslim Salikhov
Peso-pena: Makwan Amirkhani x Danny Henry
Peso-leve: Léo Santos x Roman Bogatov
Peso-pesado: Marcin Tybura x Maxim Grishin
Peso-mosca: Raulian Paiva x Zhalgas Zhumagulov
Peso-galo: Karol Rosa x Vanessa Melo
Peso-galo: Martin Day x Davey Grant

Leia também: Jorge Masvidal substitui Durinho e enfrenta Kamaru Usman no UFC 251

Acompanhe nosso canal no Youtube

Foto: Reprodução/UFC

Masvidal

Jorge Masvidal substitui Durinho e enfrenta Kamaru Usman no UFC 251

O UFC 251 ainda mantém programado três disputas de cinturões. Segundo o site MMA Fighting, o UFC escalou o americano Jorge Masvidal para enfrentar o nigeriano Kamaru Usman no dia 11 de julho na Ilha da Luta em Abu Dhabi, pelo título dos meio-médios.

“Gamebred” substituirá o brasileiro Gilbert Durinho que foi retirado do card após testar positivo para o novo coronavírus.

Ainda segundo informações do site americano, Masvidal terá que passar por um exame para Covid-19, e caso for negativo estará liberado para o evento no próximo sábado. O campeão do cinturão simbólico de “lutador mais durão do planeta” está nos Estados Unidos e deverá embarcar para Abu Dhabi nesta segunda-feira.

Jorge Masvidal vive o melhor momento da carreira. Apesar de não ter lutado ainda em 2020, está embalado com três vitórias por nocaute, e todas elas em 2019. Superou Darren Till, Ben Askren e por último Nate Diaz.

CARD PRINCIPAL:
Peso-meio-médio: Kamaru Usman x Jorge Masvidal
Peso-pena: Alexander Volkanovski x Max Holloway
Peso-galo: Petr Yan x José Aldo
Peso-palha: Jéssica Bate-Estaca x Rose Namajunas
Peso-mosca: Amanda Ribas x Paige VanZant


CARD PRELIMINAR:
Peso-meio-pesado: Volkan Oezdemir x Jiri Prochazka
Peso-meio-médio: Elizeu Capoeira x Muslim Salikhov
Peso-pena: Makwan Amirkhani x Danny Henry
Peso-leve: Léo Santos x Roman Bogatov
Peso-pesado: Marcin Tybura x Maxim Grishin
Peso-mosca: Raulian Paiva x Zhalgas Zhumagulov
Peso-galo: Karol Rosa x Vanessa Melo
Peso-galo: Martin Day x Davey Grant

Leia também: Wanderlei Silva responde Belfort e dispara: “Meter a mão na tua cara”

Ouça nosso podcast – Spotify | Deezer | Itunes

Dustin Poirier vence Hooker no UFC Vegas

Dustin Poirier vence Dan Hooker em guerra no UFC Vegas 4

Se as lutas anteriores do card principal do ‘UFC Vegas 4’ neste sábado deixaram um pouco a desejar, o duelo principal da noite entre o americano Dustin Poirier e o neozelandês Dan Hooker pela categoria dos leves não decepcionou nem os mais exigentes. Em uma guerra de cinco rounds, Poirier levou a melhor sobre Dan Hooker e se recuperou do recente revés contra Khabib Nurmagomedov.

A luta: Ambos dispararam chutes baixos. Hooker com a maior envergadura tentava aplicar golpes na média para longa distância. Poirier buscava revidar no contragolpe na aproximação. Em uma das chegadas de Hooker, Poirier agarrou o neozelandês e foi para grade, entretanto não conseguiu avançar no ataque e a luta voltou para o centro do octógono. Na troca franca Poirier conseguiu conectar um potente soco de direita. No último minuto o duelo esquentou e os dois foram para a troca franca de golpes.

Hooker no segundo round manteve os ataques com chutes. Poirier respondeu com uma sequência em pé e Dan imediatamente respondeu com um troca envolvente de golpes. O embate voltou a ficar quente com os dois lutadores partindo para o ataque. Apesar da contundência nos golpes, ambos suportaram os ataques até o momento. O cronômetro registrava 30 segundos quando foi a vez do Hooker ter o melhor momento no round e aplicar uma sonora sequência onde Poirier acabou salvo pelo gongo.

Na terceira etapa Dan Hooker e Poirier já demonstravam cansaço, mas não paravam e o duelo continuou interessante. Dustin mostrou melhora na parte em pé, com isso Hooker levou a luta para o chão, mas deixou o pescoço exposto e Dustin Poirier rapidamente tentou a finalização, porém Hooker conseguiu a fuga e o duelo se restabeleceu no centro do octógono.

No penúltimo round Hooker rapidamente tentou anular o jogo em pé de Poirier e tentou levar luta pra o chão, mas o ‘diamante’ estava esperto e conseguiu ficar em posição de vantagem por cima no solo. Poirier foi para as costas de Hooker e conseguiu pegar o braço, mas Hooker manteve a calma e conseguiu sair da posição. Mesmo de costas para grade Dustin novamente buscou a finalização, dessa vez a guilhotina mas Hooker novamente conseguiu escapar.

Exaustos no quinto round, Poirier e Dan Hooker não recuaram e continuaram mantendo uma posição agressiva. Poirier seguiu levando vantagem nos golpe retos, enquanto Hooker tentava rechaçar a aproximação buscando levar a luta para o solo. Em uma dessas tentativas, Hooker conseguiu a queda, mas Poirier foi rápido e com ajuda da grade se levantou. Nos segundos finais Dustin Poirier ainda conectou mais alguns golpes até o final da luta.

Em decisão oficial dos juízes laterias, Poirier saiu o vitorioso por decisão unânime.

RESULTADOS DO UFC VEGAS:

CARD PRINCIPAL:
Peso leve: Dustin Poirier venceu Dan Hooker por decisão unânime (48-47, 48-47, 48-46)
Peso meio-médio: Mike Perry venceu Mickey Gall por decisão unânime (29-28, 29-28, 29-28)
Peso pesado: Maurice Greene venceu Gian Villante por finalização (triangulo) aos 3m44 do 3º round
Peso médio: Brendan Allen venceu Kyle Daukaus por decisão unânime dos juízes (29-28, 29-27, 30-27)
Peso meio-médio: Takashi Sato venceu Jason Witt por nocaute técnico (socos) aos 48s do 1º round
Peso casado: Julian Erosa venceu Sean Woodson por finalização (estrangulamento d’arce) aos 2:44 do 3º round


CARD PRELIMINAR :
Peso leve: Khama Worthy venceu Luis Peña por finalização (guilhotina) aos 2m:53s do 3º round
Peso pesado: Tanner Boser venceu Phillipe Lins por nocaute técnico (socos) aos 2:41 no 1º round
Peso palha: Kay Hansen venceu Jinh Yu Frey por finalização (chave de braço) aos 2:26 do 3º round
Peso pena: Youssef Zalal venceu Jordan Griffin por decisão unânime (29-28, 29-28, 29-28)

Leia também: Wanderlei Silva responde Belfort e dispara: “Meter a mão na tua cara”

Ouça nosso podcast – Spotify | Deezer | Itunes

UFC Vegas 4

UFC Vegas 4 – Resultados: Poirier x Hooker

O Ultimate encerrou o mês de junho com o UFC Vegas 4 neste sábado em Las Vegas (EUA). O duelo principal foi pela categoria dos leves entre o americano Dustin Poirier e o neozelandês Dan Hooker.

O duelo co-principal pela divisão dos meio-médios colocou Mike Perry contra Mickey Gall.

No card preliminar do UFC Vegas 4,, o brasileiro Philipe Lins acumulou a segunda derrota consecutiva ao ser nocauteado pelo canadense Tanner Boser.

ACOMPANHE OS RESULTADOS EM TEMPO REAL:

CARD PRINCIPAL:
Peso leve: Dustin Poirier venceu Dan Hooker por decisão unânime (48-47, 48-47, 48-46)
Peso meio-médio: Mike Perry venceu Mickey Gall por decisão unânime (29-28, 29-28, 29-28)
Peso pesado: Maurice Greene venceu Gian Villante por finalização (triangulo) aos 3m44 do 3º round
Peso médio: Brendan Allen venceu Kyle Daukaus por decisão unânime dos juízes (29-28, 29-27, 30-27)
Peso meio-médio: Takashi Sato venceu Jason Witt por nocaute técnico (socos) aos 48s do 1º round
Peso casado: Julian Erosa venceu Sean Woodson por finalização (estrangulamento d’arce) aos 2:44 do 3º round


CARD PRELIMINAR :
Peso leve: Khama Worthy venceu Luis Peña por finalização (guilhotina) aos 2m:53s do 3º round
Peso pesado: Tanner Boser venceu Phillipe Lins por nocaute técnico (socos) aos 2:41 no 1º round
Peso palha: Kay Hansen venceu Jinh Yu Frey por finalização (chave de braço) aos 2:26 do 3º round
Peso pena: Youssef Zalal venceu Jordan Griffin por decisão unânime (29-28, 29-28, 29-28)

Leia também

– Dana dispara sobre performance de Blaydes: “Você pareceu estúpido” – Confira todos os resultados do UFC Las Vegas

UFC AUSTIN: Ouça nosso podcast – Spotify | Deezer | Itunes

Dana critica Curtis Blaydes

Dana dispara sobre performance de Blaydes: “Você pareceu estúpido”

Uma disputa de cinturão envolvendo Curtis Blaydes parece não estar nos planos do presidente do Ultimate, Dana White. Em entrevista após o evento neste sábado (20), o dirigente revelou que Blaydes não deveria aguardar uma disputa de título depois de uma performance monótona contra Alexander Volkov.

O triunfo contra o russo por decisão unânime não empolgou Dana, que ainda relembrou os dois revezes de Curtis Blaydes contra Francis Ngannou, atual número dois do ranking.

“Para começar, suas duas derrotas foram para Francis. Como vamos dar a ele (Curtis) a próxima luta pelo título na frente do francis? Mas sim, ele seria considerado o próximo da fila. Com sua performance e cardio, eu não iria esperar se eu fosse ele. Eu me manteria ativo, me manteria ocupado”, falou Dana.

“Eu gosto do Curtis Blaydes, mas ele tem a atitude errada pelo que vejo. Não tenho nada contra o garoto. Quando você fala coisas como ele falou esta semana, você deve entrar la e chutar a bunda de alguém quando se fala desse jeito. Quando você fala tudo aquilo e tem uma performance como teve hoje a noite, você parece estúpido, disparou Dana.

Curtis Blaydes respondeu as críticas de Dana ao relembrar os últimos adversários que enfrentou, sendo todos atrás no ranking da divisão até 120kg.

“Ficar ocupado contra quem? Eu lutei contra Justin Willis, ranqueado abaixo de mim. Lutei com Abdurakhimov, ranqueado abaixo de mim. Lutei com Cigano, ranqueado abaixo de mim. Lutei com Volkov, ranqueado abaixo de mim. Como assim? Não sei, cara. Esta provavelmente não é a melhor hora para eu responder esta pergunta”, revidou Blaydes. 

VEJA OS RESULTADOS DO UFC VEGAS

Ouça nosso podcast: Spotify | Deezer | Itunes

Acompanhe nosso canal no Youtube

Blaydes supera Volkov em luta morna no UFC Vegas

Depois de uma co-luta principal animada, um banho de água fria atingiu os amantes de MMA neste sábado (20) na luta principal da noite em Las Vegas. Pela divisão dos pesados do UFC, Curtis Blaydes despachou o russo Alexander Volkov em luta morna por decisão unânime.

A luta: Curtis Blaydes rapidamente colocou Volkov no chão com facilidade, manteve a calma e foi para as costas do russo. O americano disparou algumas joelhadas, enquanto Volkov tentou resistir, mas Blaydes novamente cravou Alexander no solo. Ainda que sem muita contundência, Curtis ficou praticamente o primeiro round inteiro dominando o russo no chão, forçando algumas posições e aplicando joelhadas.

O segundo round começou mais quente. Nos segundos iniciais ambos foram para trocação franca. Blaydes conectou alguns golpes retos e aproveitou uma brecha do russo para colocá-lo no chão outra vez. Em posição de vantagem por cima, Curtis tentava passar a guarda, entretanto Volkov segurava o ímpeto do americano, que aproveitou para soltar algumas cotoveladas perigosas. A luta voltou a ficar em pé, porém não demorou para Blaydes quedar Alexander mais uma vez.

Como no round anterior, o terceiro round também teve nos primeiros movimentos de luta a troca franca de golpes. Blaydes buscou uma sequência e amarrou o russo de costas para grade, conseguiu um controle posicional e levou a luta para o chão. Curtis manteve um domínio seguro, enquanto Volkov não conseguia responder os ataques do americano.

Blaydes no quarto round já aparentou não estar com o gás em dia. Ainda que tenha mantido Volkov sob controle no solo, o americano parecia estar apenas administrando a vitória parcial. Sem qualquer movimentação, o juiz interrompeu a luta e reiniciou o combate por falta de agressividade de Blaydes. Com a luta em pé, Volkov pela primeira vez apresentou alguma reação, ao esboçar uma queda e alguns golpes.

Na última etapa, sem gás, Blaydes apenas sobrevivia na luta. Volkov acertou um golpe de encontro que assustou Curtis, mas o americano conseguiu buscar a queda, porém não conseguiu segurar o russo. A luta continuou morna e ambos lutadores não demonstraram nenhum ataque contundente até o final do round.

Em decisão oficial dos juízes, Curtis Blaydes saiu o vitorioso por decisão unânime. Em entrevista pós-luta, o americano pediu uma chance pelo cinturão da categoria dos pesados.

ACOMPANHE OS RESULTADOS DO UFC VEGAS

Ouça nosso podcast: Spotify | Deezer | Itunes

Acompanhe nosso canal no Youtube

UFC VEGAS

UFC Vegas – Resultados: Blaydes x Volkov

Ainda com portões fechados, o Ultimate realizou neste sábado (20) mais uma edição em Las Vegas (EUA). O duelo principal foi pela divisão dos pesados entre o americano Curtis Blaydes contra o russo Alexander Volkov.

A co-luta principal não decepcionou e foi sem dúvidas o confronto mais interessante da noite em Vegas. Josh Emmett emplacou o quarto triunfo seguido e despachou Shane Burgos na decisão dos juízes.

RESULTADOS TEMPO REAL – UFC Vegas:

CARD PRINCIPAL:
Peso-pesado: Curtis Blaydes venceu Alexander Volkov por decisão unânime (49-46, 48-47, 48-46)
Peso-pena: Josh Emmett venceu Shane Burgos por decisão unânime (29-28, 29-28, 29-27)
Peso-galo: Raquel Pennington venceu Marion Reneau por decisão unânime (30-27, 29-28, 29-28)
Peso-meio-médio: Belal Muhammad venceu Lyman Good por decisão unânime (29-28, 29-28, 29-28)
Peso-casado (até 72,5kg): Jim Miller venceu Roosevarelt Roberts por finalização (chave de braço) aos 2m25s do 1º round


CARD PRELIMINAR :
Peso-leve: Bobby Green venceu Clay Guida por decisão unânime
Peso-palha: Tecia Torres venceu Brianna Van Buren por decisão unânime (30-27, 30-27, 30-27)
Peso-médio: Marc-André Barriault venceu Oskar Piechota por nocaute técnico (socos) aos 4m50s do 2º round
Peso-mosca: Gillian Robertson venceu Cortney Casey por finalização (mata-leão) aos 4m32s do 3º round
Peso-leve: Justin Jaynes venceu Frank Camacho por nocaute aos 41s do 1º round
Peso mosca: Lauren Murphy venceu Roxanne Modafferi por decisão unãnime (30-27, 29-28, 29-28)
Peso leve: Austin Hubbard venceu Max Rohskopf por nocaute técnico (desistência) aos 5:00 do 2º round

Ouça nosso podcast: Spotify | Deezer | Itunes

Acompanhe nosso canal no Youtube

#19 – Wand X Belfort e o próximo UFC (Podcast)

No clima de bar e do distanciamento social, Tarcio, Flávio, Robson e Richard falam do possível duelo entre Wanderlei Silva e Vitor Belfort, também sobre o próximo evento do UFC e ainda nossa prestação de contas dos eventos passados.

Siga nossas redes sociais, assine nosso feed e receba as notificações a cada novo episódio.Ouça nosso podcast: Spotify | Deezer | Itunes

Ouça nosso podcast: Spotify | Deezer | Itunes

Acompanhe nosso canal no Youtube

Wanderlei Silva x Vitor Belfort

Wanderlei Silva responde Belfort e dispara: “posso meter a mão na tua cara”

Se o clima entre Wanderlei Silva e Vitor Belfort nunca foi dos bons as redes sociais de ambos lutadores vem pra reforçar essa tensão dos dois brasileiros nos últimos dias.

Belfort que derrotou Wanderlei em 1998 no UFC, publicou um vídeo do nocaute, disparou críticas e afirmou que irá nocautear novamente.

“Seu falastrão, segue o vídeo da última vez que nos encontramos. Você sempre representou a briga e eu a arte marcial. Você literalmente representa esses bullies que maltratam seus colegas. Mas comigo não funciona, seu bunda mole. Todos sabemos que por trás daqueles que ferem, existe sempre uma pessoa ferida. Por isso vou te dar uma terapia de graça, depois de te dar um nocaute. Vai treinar e para de produzir fake news. Além do mais, aqui vai uma dica pra você: esquece de política, Wand. Você com certeza não tem cérebro para isso”, escreveu Belfort

Wanderlei Silva não deixou barato e respondeu o compatriota. O curitibano aceitou o desafio e também não aliviou nas provocações.

Leia também: Dana confirma trilogia entre Miocic e Daniel Cormier

Declaração do Wanderlei Silva

“Desafio aceito. Já resolvi tudo aqui em Curitiba, agora posso voltar a correr atrás de você, corrido. Luto no seu evento, nas suas regras, escolha a data e o dia logo. Se me ver por aí, faça como fez aquele dia em Las Vegas, quando te dei uma intimada no corredor do Hotel e você amarelou. O Thiago Silva estava comigo e viu tudo, e você como sempre começou a falar fino, com cara de medo, seu bunda mole.

Ou quer fazer à moda antiga, só eu e você a portas fechadas? Tem coragem, frouxo? Envie o local e não me venha com esse papo de profissionalismo, que antes de ser lutador sou homem, coisa que você não é. E como dizia meu pai, “com homem não se brinca”. Você tá ligado que se te encontrar posso meter a mão na tua cara pelo monte de besteira que está falando, “guerreiro do teclado”! Já já a gente se cruza, fica tranquilo. Desculpe os mais “sensíveis”, mas sou assim mesmo, aqui só os extremos”, rebateu Wanderlei.

Um reencontro entre os dois chegou perto de acontecer em 2012 pelo “The Ultimate Fighter Brasil”, entretanto, uma lesão na mão tirou Belfort da luta. Os dois eram os treinadores principais das duas equipes que participaram do reality show.

Ouça nosso podcast: Spotify | Deezer | Itunes

Acompanhe nosso canal no Youtube

Dana confirma trilogia entre Daniel Cormier e Stipe Miocic

A terceira luta entre Daniel Cormier e Stipe Miocic está agendada para o dia 15 de agosto no UFC 252. Em local ainda não definido, como anunciou o presidente Dana White em entrevista a ESPN.

O primeiro encontro aconteceu no UFC 226 em julho de 2018. Na ocasião Daniel Cormier levou a melhor e faturou o cinturão dos pesados ao vencer por nocaute no primeiro round. Com o título, DC entrou no seleto grupo de campeões de duas divisões, já que era o campeão dos meio-pesados na época.

Leia também: UFC 251 será na “ilha da luta” com três disputas de cinturões

No segundo embate, em agosto de 2019, Stipe Miocic conseguiu recuperar o título ao bater Cormier por nocaute técnico no quarto round. Ainda que não oficial, mas os rumores indicam que a trilogia deve ser a despedida de Daniel Cormier do MMA.

Ouça nosso podcast: Spotify | Deezer | Itunes

Acompanhe nosso canal no Youtube

UFC 251 será na “ilha da luta” com três disputas de cinturões

A comentada “lha da luta” está confirmada como palco do UFC 251, que acontece no dia 11 de julho. A Ilha de Yas, localizada em Abu Dhabi marcará o retorno de eventos do UFC fora dos Estados Unidos. Além do evento numerado, receberá mais três eventos de forma sequencial nos dias: 15, 18 e 25 de julho.

Para o UFC 251, foram anunciadas três disputas de cinturões, possuindo brasileiros em duas delas. Kamaru Usman x Gilbert Durinho pelo título dos pesos-meio-médios; Petr Yan x José Aldo pelo cinturão vago dos pesos-galos; e o reencontro entre Alexander Volkanovski e Max Holloway pelo título dos pesos-penas.

O confronto entre Kamaru Usman e Gilbert Durinho marcará um duelo entre companheiros de treinos. O nigeriano busca a segunda defesa de título, enquanto Gilbert Durinho buscar coroar sua passagem meteórica até o momento na divisão dos meio-médios. Desde sua estreia na nova categoria, acumulou quatro triunfos consecutivos.

José Aldo e Petr Yan irão disputar o título vago do peso-galo, depois de Henry Cejudo anunciar sua aposentadoria. O atleta da Nova União vem de duas derrotas consecutivas, enquanto o russo Petr Yan vive fase adversa com seis vitórias seguidas no UFC.

O confronto entre Alexander Volkanovski e Max Holloway será uma revanche pelo cinturão dos penas. O australiano tirou o título do havaiano em dezembro de 2019 quando superou na decisão unânime.

A “ilha da luta” também recebeu mais lutas confirmadas. Entre os representantes brasileiros, estão: Jéssica Andrade, Pedro Munhoz e Amanda Ribas.

CARD DO EVENTO ATÉ O MOMENTO:

Peso-meio-médio: Kamaru Usman x Gilbert Durinho
Peso-pena: Alexander Volkanovski x Max Holloway
Peso-galo: Petr Yan x José Aldo
Peso-palha: Jéssica Bate-Estaca x Rose Namajunas
Peso-galo: Pedro Munhoz x Frankie Edgar
Peso-meio-pesado: Volkan Oezdemir x Jiri Prochazka
Peso-mosca: Amanda Ribas x Paige VanZant
Peso-pesado: Tai Tuivasa x Jarjis Danho
Peso-pesado: Shamil Abdurakhimov x Ciryl Gane

Ouça nosso podcast: Spotify | Deezer | Itunes

Acompanhe nosso canal no Youtube

Cris Cyborg reclama de salário de Amanda Nunes: “Merece receber US$ 1 milhão”

Rival de Amanda Nunes, a compatriota Cris Cyborg ficou na bronca com o salário recebido da leoa no UFC 250, no último sábado (07). Em uma rede social, Cyborg comentou sobre o valor de US$ 450 mil (aproximadamente) de R$ 1,8 milhão) que Amanda recebeu.

“Nunes merece receber US$ 1 milhão a cada luta. Espero que o total do que ela ganhar chegue a esse valor”, publicou Cyborg.

Amanda Nunes e Cris Cyborg se enfrentaram em dezembro de 2018, onde na ocasião Amanda levou a melhor por nocaute ainda no primeiro round. Com o triunfo, a baiana conquistou o segundo cinturão de forma simultânea, enquanto Cyborg perdeu uma invencibilidade de 21 lutas.

Após o revés, Cyborg ainda fez uma luta no Ultimate, derrotou Felicia Spencer e encerrou sua passagem no UFC e assinou com o Bellator. Já Amanda emplacou três triunfos, vencendo Holly Holm, Germaine de Randamie e por último Felicia Spencer.

SALÁRIOS DO UFC 250:

Amanda Nunes – US$ 450 mil
Felicia Spencer – US$ 125 mil
Raphael Assunção – US$ 79 mil
Cody Garbrandt – US$ 310 mil
Aljamain Sterling – US$ 202 mil
Cory Sandhagen – US$ 80 mil
Neil Magny – US$ 158 mil
Anthony Rocco Martin – US$ 48 mil
Sean O’Malley – US$ 130 mil
Eddie Wineland – US$ 46 mil
Chase Hooper – US$ 27 mil
Alex Caceres – US$ 116 mil
Gerald Meerschaert – US$ 33 mil
Ian Heinisch – US$ 80 mil
Cody Stamann – US$ 72 mil
Brian Kelleher – US$ 33 mil
Charles Byrd – US$ 12 mil
Maki Pitolo – US$ 20 mil
Jussier Formiga – US$ 49 mil
Alex Perez – US$ 130 mil
Alonzo Menifield – US$ 14 mil
Devin Clark – US$ 96 mil
Evan Dunham – US$ 60 mil
Herbert Burns – US$ 24 mil

Veja os resultados do UFC 250:

Ouça nosso podcast: Spotify | Deezer | Itunes

Amanda Nunes dá show, vence Felicia Spencer e faz história no UFC

E para quem acredita que Amanda Nunes é a maior lutadora de todos os tempos ganhou mais uma argumento neste sábado (06) em Las Vegas (EUA) no UFC 250. A brasileira não tomou conhecimento da canadense Felicia Spencer e com uma atuação dominante saiu vitoriosa por decisão unânime e manteve o cinturão peso-pena. A baiana que também é campeã peso-galo entrou para a história ao ser primeiro atleta campeão em duas categorias simultaneamente e a defender ambos os cinturões.

A luta: Amanda Nunes disparou um chute na linha de cintura, Felicia buscou a luta agarrada mas Amanda rechaçou a aproximação. Nunes disparou uma bomba de direita, em sequência conectou um uppercut. A campeã soltou um chute, Spencer tentou se defender agarrando, mas a brasileira foi mais rápida e conseguiu quedar a canadense. Por cima no solo, Amanda foi logo para as costas e esboçou tentar um mata-leão, mas Spencer se defendia. Nunes continuou no solo, trabalhando posição e atacando com cotoveladas até o final do round.

Na segunda etapa, Felicia tentou o primeiro ataque, mas Amanda não recuou e partiu para o contragolpe. Confiante na luta, a brasileira continuava cercando a canadense e levava a melhor na troca franca de golpes na média para curta distância com potência nos golpes. Sem alternativa na luta em pé, Felicia buscou quedar Amanda, entretanto não obteve êxito. Apesar de levar vantagem em todas as áreas da luta, Amanda respeitava Felicia e não se afobava nos ataques.

Já no terceiro round, Amanda veio com uma postura mais agressiva. Spencer tentava reagir com uma sequência de um, dois, mas a brasileira apresentava mais contundência nos golpes disparados. Spencer nos últimos minutos do round já demonstrava sentir os golpes. Amanda continuava conectando variadas combinações de chutes e socos.

O quarto round já estava em andamento e a performance de Amanda seguia impecável. A brasileira acertou um direto de direita limpo na canadense, mas em seguida foi a vez da desafiante conectar um bom contragolpe. Amanda continuou encurralando Spencer, disparou um chute baixo e logo depois desequilibrou Felicia na aproximação. O duelo se manteve na trocação franca até o final do round, com Nunes aplicando uma blitz na reta final, Felicia sentiu os golpes e Amanda foi para as costas da canadense, que por muito pouco não acabou finalizada antes do fim do round.

Se nos rounds anteriores Felicia não colocou Amanda em perigo, o quinto round não foi diferente. Amanda seguiu irrepreensível e logo ficou em posição de vantagem por cima no chão. Spencer resistia bravamente, enquanto Amanda amassava e mantinha posição de controle no solo. O duelo no último minuto voltou a ficar em pé e Amanda apenas administrou o resultado.

VEJA TODOS OS RESULTADOS DO UFC 250

UFC 250 – Resultados: Amanda Nunes x Felicia Spencer

Cinturão e história. Quando falamos de Amanda Nunes não tem como não lembrar disso, e neste sábado (06) no UFC 250, a baiana tenta o feito inédito de defender dois cinturões da organização possuindo os dois de forma simultânea. E o cinturão em jogo nesta noite é do peso-pena e quem tenta estragar a festa da leoa é a canadense Felicia Spencer.

A co-luta principal também terá representa verde e amarelo. Raphael Assunção tenta ‘afundar de vez’ o ex-campeão Cody Gabrandt pela categoria dos galos.

RESULTADOS EM TEMPO REAL:
CARD PRINCIPAL:
Peso-pena: Amanda Nunes venceu Felicia Spencer por decisão unânime (50-44, 50-44, 50-45) – cinturão peso-pena
Peso-galo: Cody Garbrandt venceu Raphael Assunção por nocaute (soco) aos 4m59s do 2º round
Peso-galo: Aljamain Sterling venceu Cory Sandhagen por finalização (mata-leão) aos 1m28s do 1º round
Peso-meio-médio: Neil Magny venceu Anthony Rocco Martin por decisão unânime (30-27, 30-27, 29-28)
Peso-galo: Sean O’Malley venceu Eddie Wineland por nocaute (soco) aos 1m54s do 1º round


CARD PRELIMINAR:
Peso-pena: Alex Caceres venceu Chase Hooper por decisão unânime dos juízes (30-27, 30-27, 30-27)
Peso-médio: Ian Heinisch venceu Gerald Meerschaert por nocaute técnico (socos) a 1m:14s do 1º round
Peso-pena: Cody Stamann venceu Brian Kelleher por decisão unânime dos juízes (30-27, 30-27, 30-27)
Peso-médio: Maki Pitolo venceu Charles Byrd por nocaute técnico (socos) a 1m:10s do 2º round
Peso-mosca: Alex Perez venceu Jussier Formiga por nocaute técnico (chutes baixos) aos 4m:06s do 1º round
Peso-meio-pesado: Devin Clark venceu Alonzo Menifield por decisão unânime (30-27, 29-28, 29-28)
Peso-casado (até 68kg): Herbert Burns venceu Evan Dunham por finalização (mata-leão) aos 1m20s do 1º round